31.7.10

SIM, SEI BEM


Sim, sei bem
Que nunca serei alguém.
Sei de sobra
Que nunca terei uma obra.
Sei, enfim,
Que nunca saberei de mim.

Sim, mas agora,
Enquanto dura esta hora,
Este luar, estes ramos,
Esta paz em que estamos,
Deixem-me crer
O que nunca poderei ser.

Fernando Pessoa



Antes de ligar o vídeo, desligue o som de fundo no final desta página, para não haver sobreposição de melodias. Basta clicar em II . Obrigada.

8 comentários:

Observador disse...

Fernando Pessoa encanta com a sua escrita.

A música escolhida complementa.

Que delícia, Madalena (retirei o Dra.)

:)

Madalena disse...

Obrigada, Observador :)
Percebo que sabe mais de mim que eu de si, pois de si só tenho o seu perfil de lobo :). Será que pertencemos à mesma matilha urbana ou profissional? LOL
Quanto ao não colocar o dê-erre-a...faz muito bem, não faz parte da minha identidade.
Uma questão de ponto de vista em sintonia...:)
Abraço.

Mgomes - Santa Cruz disse...

Olá Madalena: Linda escolha de Fernando Pessoa, e a musica esta lindamente bem escolhida Parabens.
Um beijo
Santa Cruz

Campista selvagem disse...

Lindo o parque a preto e branco, há no entante um reparo grande parte destas deslunbrantes imagens pertencem ao Soajo, e os nativos são um pouco rivais,é vergade que pertencem todos a Peneda Gerês mas têm hábitos diferentes,já agora os garranos aparentam um tamanho algo parecido com os de Corno de Bico, mas pode ser que esteja enganado e sejam mesmo os baixinhos da Peneda.
Gosto destes diferentes pontos de imagem, e quando se fala do Parque Nacional fico sempre com um arrepio nervoso...
são imagens do passado mas vale a pena reviver nem que seja em imagens.
É bom recordar os tempos em que se montava a tenda junto dos pastores ou vaqueiros e pela calada da noite se ouviam os lobos a uivar e os riachos a cantarem as melodias do sosego.
pela minha parte só posso agradecer. O meu bem haja.

Navegar é preciso.. disse...

Viva a poesia de Fernando Pessoa!
Bjs!
Fatima

Madalena disse...

Caro Campista Selvagem,
De Soajo, por onde passei, é só a foto dos espigueiros.
As restantes, são todas da Peneda, Castro Laboreiro e arredores e a dos cavalos são tiradas em Lamas de Mouro, tudo dentro, como diz, do Parque Nacional Peneda-Gerês.
Um abraço e muito obrigada pela partilha.

Madalena disse...

Caríssimos Santa Cruz e Fátima,
Muito obrigada pelo vosso comentário e gentil apreciação.
Bjs

Campista selvagem disse...

Lindo , lindo, lindo...
Cheguei atemer que tivesse avistado os lobos, eu tenho essa ilusão a muito tempo e ainda só conseguiouvir os seus uivos.
Tenho uma maneira diferente de abordar a serra, meio solitário.
As minhas fotos são ao acaso muitas delas com um siimples telemovel, muitas saem uma desgrassa no entanto de quando em vez lá aparece uma de jeito.
excelente a vocação que tem de partilha , o meu muito obrogado.