4.8.10

NÃO ME IMPORTO COM AS RIMAS

Não me importo com as rimas. Raras vezes
Há duas árvores iguais, uma ao lado da outra.
Penso e escrevo como as flores têm cor
Mas com menos perfeição no meu modo de exprimir-me
Porque me falta a simplicidade divina
De ser todo só o meu exterior.


Olho e comovo-me,
Comovo-me como a água corre quando o chão é inclinado,
E a minha poesia é natural como o levantar-se o vento...

Alberto Caeiro, Não me importo com as rimas.

3 comentários:

Campista selvagem disse...

O fogo está à porta do parque, desta vez estou mesmo preocupado.

Paulo disse...

Olá Madalena ^^

Importo-me eu, porque rimar é um prazer,
É coisa de inspiração e de muita esperança,
Aqui visito tão nobre cantinho, para no fim trazer,
Um agradecimento com carinho, numa breve dança.

Bem combinado poema de Fernando Pessoa com magistrais fotos :)

beijinho e bom fim de semana *_*

Poseidón disse...

Olá Madalena
teu blog e muito bom e lindo

cuidado con los fuegos que hay en estos momentos en PORTUGAL..
abraços