23.7.11

O ÚLTIMO RAID


Há notícias que nos abalam profundamente e esta foi uma delas, para mim.
Na memória dos curtos mas intensos momentos partilhados, o registo único e especial de um terno e romântico pas-de-deux, um inesperado e surpreendente dançar no deserto de quem respeitava e saboreava intensamente a Vida e os outros. Com uma enorme coragem e doce determinação. E um quase, não sei explicar, estado de alma de menina.
Não tenho a foto desse momento, que ficou para sempre gravado em mim pelo que dele intui e significou, como se nele estivesse o mundo,tudo aquilo em que acredito.
Fotografei o casal, mas no instante seguinte e com a sua máquina, foto que foi publicada por Jaime Nogueira Pinto no seu livro Jogos Africanos, com a legenda "On guérit jamais du mal de l'Afrique".
Essa etapa no deserto do Namibe é, particularmente, inesquecível, em várias dimensões.
Tão imensa, bela e profunda quanto o próprio deserto.
Je guéris jamais.
Até à Eternidade, Zezinha.






2 comentários:

Campista selvagem disse...

Calma os de quem realmente gostamos ficam para sempre, pelo menos na nossa memória.

restinga disse...

"Bonita lembrança. Esta foi uma viagem especial. Paisagens deslumbrantes, população carinhosa, amizades novas, solidariedade e por tudo isto por muitas outras viagens que se façam, esta foi ÚNICA.
bjs"