13.3.10

PILARES

Gosto desta foto dos meus Avós maternos.
Palavras  como amor, verticalidade, grandeza e dignidade
saltam-me ao espírito e encarnam de imediato
quem tanto amei e respeitei.
Pilares dos meus valores, dos meus afectos,
o meu Avô e a minha Avó eram as mãos dadas
da força com a fragilidade,
da coragem com a fraqueza,
da alegria com a melancolia,
do amor com a fantasia.
Eram a tese e a antítese. Num só.
Acima de tudo foram os suportes a partir dos quais
estruturei quem sou.
Profundamente reflectidos na minha Mãe, continuam a projectar-se
através dela na vida de todos nós, serenamente,
com aquela doce bonomia de quem, perante a adversidade, sempre teve a coragem de saber sorrir e ir em frente.
Honremos os pilares que nos sustentam. E sejamos nós, com eles.
Até à Eternidade.

9 comentários:

Malena disse...

Mi querida Madalena: Es un precioso homenaje a tus abuelos. Son nuestras raices, son esa base en la que nos apoyamos cuando somos pequeños y que junto con nuestros padres forman un maravilloso pequeño mundo.

La figura de los abuelos siempre nos acompaña y es entrañable.

Mil beijos e mil rosas.

Alexandre Correia disse...

Olá Madalena,

A minha Mãe ainda hoje diz que eu sou igual ao Pai dela. Tenho pena de não o ter conhecido melhor; morreu quando eu tinha apenas 10 anos e as minhas recordações dele não chegam para que eu mesmo possa sustentar o que a minha Mãe diz. O que não significa que não acredite nessa semelhança, ainda para mais quando é alimentada por muito mais pessoas que o conheceram bem melhor, e que também acabaram por conhecer-me. Fazemos sempre um esforço para criar uma imagem simpática dos avós, que nem sempre corresponde à realidade. Neste meu caso, tomara eu tivesse tido oportunidade de conviver com o meu avô materno numa fase da minha vida mais próxima de adulto. Mas ficaram as memórias, e as recordações de quem com ele mais conviveu; e eternas são essas memórias...

Beijo,

Alexandre Correia

João disse...

Querida mana, ao ler tuas palavras sempre sabias e profundas, me dei conta das desvantagens de ser o delfin, a pouca convivencia com os Avós não me deixaram marcas tão profundas, que me dê ou possa ter essa percepção que relatas, no entanto, quanto a herança e legado deixado a nossa Mãe, não há duvidas. Por sua vez como dizes tambem nos fica um saldo desse legado de nossos queridos avós. O Mais estranho, não sei porquê, é que a memória da avó Antónia é muito mais forte em minha mente, apesar de ter convivido muito menos com ela. Já do Avô Frank é clara como água. Misterios de nossas mentes. Quanto ao pilar não restam duvidas que sem eles como qualquer estrutura, tudo cai e na importante estrutura familiar estes pilares são absolutamente fundamentais.
beijo

luisa valles disse...

Querida maninha
So tu poderias expressar tao bem estes sentimentos e personalidade dos nossos queridos e saudosos avos!Beijinhos,adoro te!

Anónimo disse...

Maninha querida!
Vivo o orgulho, felicidade e conforto de me saber nesta família.
Sinto nela o porto de abrigo forte e seguro, hajam as tempestades que houverem nestes mares revoltos e torbulentos da vida, que por vezes quase nos fazem naufragar.
A todos dêvo, e já testado, esse conforto!
Somos, fomos e seremos sempre especiais uns para os outros!
Não posso de qualquer forma deixar passar em branco, a grande admiração que tenho por ti.
A forma como escreves, a forma como estás na vida, etc.,etc..
É por tudo isso e muito mais que me transmites o tal conforto e orgulho de me saber teu irmão e de te achar especial.
Beijos Madalena.

Madalena disse...

Madrinha do meu coração, adorei e adoro como sempre tudo o que leio escrito pela tia...pontos de vista deveria ser pensado em ser transcrito para um livro...um dia escrevi, e escrevia muito e parei há muitos anos sem saber porquê, mas a tia transmite-me sempre com as palavras uma enorme vontade de voltar a fazê-lo para poder ser quando crescer um bocadinho do que a tia é hoje!
Obrigada por estes pequenos e prazerosos momentos e rápidas mehoras!
PS. Com febre a tia continua a escrever bem na mesma :-)
Beijos ENORMES!

Luis Cardoso - Veleiro Big Rider disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Cardoso - Veleiro Big Rider disse...

Na foto, Madalena, vemos três pilares. Cada um exercendo o trabalho necessário para manter em pé o que para eles é mais importante. A gratidão e o respeito pelos nossos idos é um dos componentes que nos fazem, se não pilares, exemplo para os que se miram em nós. Parabéns. Luís.

adelaide monteiro disse...

Passei por aqui e esta foto com três pilares tocou-me profundamente por me lembrar dos meus pilares já idos.
Também para mim os meus avós maternos foram fortes pilares.
Gosto muito do que escreve.
Adorei as texturas.

Adelaide