3.10.10

UMA APÓS UMA

Uma após uma as ondas apressadas
Enrolam o seu verde movimento
E chiam a alva 'spuma
No moreno das praias.




















































Uma após uma as nuvens vagarosas
Rasgam o seu redondo movimento
E o sol aquece o 'spaço
Do ar entre as nuvens 'scassas.



































Indiferente a mim e eu a ela,
A natureza deste dia calmo
Furta pouco ao meu senso
De se esvair o tempo.

Só uma vaga pena inconsequente
Pára um momento à porta da minha alma
E após fitar-me um pouco
Passa, a sorrir de nada.


















Poema de Ricardo Reis, in "Odes"
Heterónimo de Fernando Pessoa

1 comentário:

Campista selvagem disse...

Chegaram as primeiras chuvas, e com elas os dias enfadonhos dentro de paredes, ficam as imagens nas nossas lembranças, ainda que eu não seja propriamente um adepto de praias estas imagens deixam sempre uma certa nostalgia.
"É sempre bom recordar"