14.8.11

RENASCER

Entardece e sou crepúsculo.
Estendo os braços à lua
E toco com os dedos o azul anilado do céu.
Afasto as résteas da névoa do dia que parte
e acaricio as estrelas que espreitam
trémulas ainda, receosas.














É então que recolho ao regaço do meu Ser.

1 comentário:

Campista selvagem disse...

Quando estamos de férias somos capazes de descrever quadros que em qualquer outra altura seriam muito complicados de descudificar.